Assistimos Emily in Paris de uma só tacada. É cheio de clichês e super expositivo mas tem uma leveza que o torna bem palatável. Botar na Emily o fardo de representar a mulher millenial é cruel. Ficção precisa ser encarada como ficção. Esperar engajamento em tudo é exagero.